terça-feira, 26 de agosto de 2008

A Idolatria e Nós


Conhecemos a idolatria apenas na sua maneira mais usual, hoje, porém, vos convido a sondar os refolhos das nossas almas a fim de descobrirmos outro tipo de idolatria da qual somos assíduos praticantes.

Vícios, más paixões, defeitos oriundos do egoísmo e do orgulho todos nós possuímos e cientes estamos da necessidade de combatê-los.

Mas até que ponto nós realmente queremos nos livrarmos desses vícios milenares que nos acompanham?

Até que ponto queremos abdicar da ociosidade que nos é prazerosa? Até que ponto queremos nos ver livres do orgulho e da vaidade que tanto nos alegra? E do egoísmo que nos faz mais felizes com o que podemos gozar?

Possuir más virtudes inevitavelmente nos leva a quedas e sofrimentos, mas devemos ser sinceros com nós mesmos, pois muitas vezes as más paixões que dizemos não desejar, na verdade muito nos agrada, às vezes nos fazemos idólatras dessas más virtudes que ilusoriamente nos fazem felizes e das quais não conseguimos nos desvencilhar.

O estudo sincero das mazelas morais resultantes da posse das más virtudes é o remédio eficaz contra o nosso deturpado senso de afinidade com estas.

Que Jesus possa aos poucos nos iluminar, para aos poucos compreendermos quais são os verdadeiros valores, aos quais somos pouco afeitos.

Tenshi

19/08/08

domingo, 17 de agosto de 2008

Fonte de Renovação


Vida atribulada, problemas cotidianos, angústias e conflitos internos são problemas milenares que nós enfrentamos.

O caminho da felicidade é traçado quando nos despojamos desses vários empecilhos da alma que há milênios nos infligem sofrimentos íntimos.

Jesus e o seu Evangelho constituem importante roteiro de luz para nos despojarmos desses malefícios. Se outrora tínhamos o Mestre Nazareno à conta de deus sem sentimento, hoje, esclarecidos, aproveitemos o máximo que a Boa Nova pode nos oferecer como sendo o caminho da renovação, da vida nova, onde os valores ilusórios, fonte de perturbação, são aos poucos substituídos pelos valores eternos, fonte de venturas eternas.

O Evangelho nos incita ao trabalho renovador, nos atemos a isso, pois o roteiro de luz já está traçado há anos, falta, no entanto, segui-lo de coração e espírito.

Tenshi

12/08/08

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Compromissos


Possuímos dois tipos de compromissos pretéritos quando nos encontramos encarnados.

Quando nas vidas pretéritas pouco fizemos para saldar nossas dívidas de consciência ou quando débitos adquirimos, tudo isto, na próxima reencarnação, converte-se de certa forma num compromisso para com nós mesmos, principalmente quando se começa a ter noção das leis eternas que regem a vida.

Outro compromisso de suma importância e que está ligado ao já citado, é aquele que fazemos antes de adentrarmos um novo corpo físico. Quando sondamos nossas necessidades, nossos erros e as provas necessárias ao aprimoramento moral pelo qual todos nós devemos passar.

Não nos distanciemos desse compromisso firmado no astral; existem amigos que esperam de nós o melhor para o cumprimento deste compromisso, que nada mais é do que efeito daquele e seu meio de cumprimento.

Não nos distanciemos de Jesus, pois ele é o guia para o nosso triunfo.

Voltemos nossa mente e nosso coração para nós mesmos no silêncio da prece que havemos de nos auto-descobrir, determinando nossas aspirações, fato que nos levará ao conhecimento intuitivo desses compromissos, cujo cumprimento é fundamental para nossa libertação e evolução.

Tenshi

05/08/08

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Exercício do Amor


Só o amor liberta, só o amor é capaz de nos conduzir à evolução.

Esse sentimento nobre que emana primeiramente de Deus tem o poder de converter as pequenas iniciativas em obras de libertação dos erros do passado e de melhoramento da nossa condição moral, ainda inferior.

Praticando o amor fraterno, desinteressado, estamos primeiramente nos auto-ajudando, nós, espíritos carentes de sentimentos nobres, tão afeitos as coisas impuras, carecemos dessas experiências, no exercício do amor ao próximo, como meio de limpeza da alma.

É a terapia da auto-iluminação, da caminhada em busca dos sentimentos nobres, latentes no nosso âmago, porquanto somos filhos de Deus, mas que só se desenvolverão se regadas com as gotas do amor fraterno, que mesmo gotas, são capazes de muito produzir quando estas forem da mais cristalina sinceridade.

Tenshi

29/07/08